quinta-feira, 22 de outubro de 2009







Chuva
Carolina Morais

Foi cheiro de grama
Terra molhada
A saudade dos sonhos
O canto dos anjos

E a nuvenzinha
sozinha
no canto
Aguarda
com amor
O vento inebriante

E em teu seio, eu fico
sozinha
tímida
entregue ao mormaço

Deixa-me aqui
Até que chova
e que chova
em ti
a eternidade.

Um comentário:

letícia l. disse...

Carol, queria saber se posso postar suas poesias no meu blog?
bjinho :**