segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Como anda a sua vida?

O que é viver para você? Como anda a sua vida?
São essas perguntas que tenho feito a mim mesma toda vez que paro e observo um pouco a vida de amigos, colegas e, até mesmo, de desconhecidos. Como você vive? O que é a vida para você?
Longe do pensamento aristotélico, a vida, para mim, não é cíclica. A vida é um continuum que insiste em percorrer caminhos diferentes. Às vezes um pouco tortuosos, outras vezes um pouco escuros, sem muita luz para enxergarmos se a terra está boa para caminhar. Muitas vezes os caminhos são fáceis, como num lago congelado, deslizamos, chegamos rápido. 

A vida ganha sentido diferente para cada pessoa. Para algumas, a vida se resume em uma atividade, um hobbie, uma paixão. A vida, para essas pessoas, é limitada. Não há tanto sabor na descoberta. Há muito sabor na evolução. Mas, com o tempo, a gente começa a dar voltas em busca de nosso próprio rabo. Vivemos em um cercado e não há mais para onde crescer. Os amigos são os mesmos, as atividades são as mesmas. Bebemos com as mesmas pessoas, saímos com as mesmas pessoas, fazemos as mesmas atividades, batemos o ponto da mesma forma. Vivemos de forma automatizada. Acordamos e dormimos da mesma forma. Não mudamos. Não descobrimos. O mundo acaba sendo apenas um. Ele diminui, ele fica pequeno. Perde-se um pouco do encanto dos começos. Tudo vira meio e não se pensa em um fim.

Há quem viva várias vidas. Há quem não consiga levantar a bandeira da própria vida. Há que se envergonhe por viver do seu próprio jeito. Há pessoas que não são felizes. Há pessoas que acham que a felicidade está em copo de cerveja e, quando a cerveja acaba, a vida parece não fazer mais tanto sentido assim.

Há quem não ame. Há quem queira amar, mas não encontra a pessoa certa. Há quem sofre com medo de ficar sozinho, há quem sofre com medo de ficar junto para sempre...

"Eu sei que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita:
 É bonita, é bonita e é bonita!" (Gonzaguinha)
Mas, há também quem ame. Há quem encontre a felicidade em outra pessoa. Há quem vê o amor como amigo, companheiro, confidente. Há quem saiba que, no fundo, duas pessoas se juntam para se divertirem juntas. E que, uma vida a dois, apesar de mais complicada, é infinitamente mais bonita!


Não há um modelo, uma regra a ser seguida para viver. O que importa é você saber que temos um prazo de validade. Que os anos vão passar e que nada é eterno. Se você quer aprender a fazer algo, aprenda agora. Você não sabe quanto tempo terá para fazer as coisas que você gostaria de fazer. Tentar é uma das partes mais maravilhosas. É o processo que faz da vida algo tão único, não somente o resultado. Aprenda algo novo, tente algo diferente, conheça pessoas novas. Por um momento eu achei que todas as pessoas que eu conhecia eram desinteressantes, até eu começar a fazer as atividades que me davam prazer. Primeiro pensei em mim, no meu bem-estar, nas minhas alegrias. Consequentemente, acabei conhecendo pessoas que viam a vida como eu vejo...E, assim, meu universo, tão meu, ficou ainda mais colorido e me vi cercada de pessoas que levam, dentro de si mesmas, uma vontade imensa de viver da melhor forma possível.

Então, o que é a vida para você? Como anda a sua vida?

Um comentário:

Antonio Batalha disse...

A Verdade Em Poesia, está a tentar visitar a todos os seus seguidores, para deixar abraço amigo e agradecer por termos ficado juntos mais um ano,desejar também que este ano lhe traga muitas alegrias, e grandes vitórias.
Atenciosamente. António.
PS. tive de seguir outra vez porque estava sem foto, ou sem endereço.