sexta-feira, 9 de julho de 2010

Curva

Ao vento que sopra
ligeiro e doce
Sou passageiro
Sou mar aberto
Imensidão de pensamentos
Tolos, convexos
Afogo-me no rio
de memórias que virão
o dia morrendo
estrela brilhando.
O eu solitário
vaga decomposto
guardando no bolso
meus sonhos
e minhas crises
existenciais


Carolina Morais

18 comentários:

Lara Amaral disse...

Poetas e seus bolsos profundos.

Beijos.

Sil.. disse...

Eis-me....mar aberto.

carol, mas tu és uma queridaaaaaa viu!!
Eu adoroooooooo vc imensamente!

Um abraço minha flor!

meus instantes e momentos disse...

que bom te ler.
Maurizio

Ivan Bueno disse...

Oi, Carol.
Poema-questionamento-definição. Haverá poeta que não tenha bolsos profundos e crises existenciais? Acho que é exatamente destas que advém os poemas.
Adoro o som desses sininhos...
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Patrícia Gonçalves disse...

Lindo poema, adoro poemas de vento. O vento sopra lá nos dias genéricos também, vento da liberdade, de vento no cabelo.

Concordo com o Ivan, poeta vai ter sempre crise existencial e bolso, para guardar todas as lembranças e palavras achadas pelo caminho.

Beijo grande linda

Martini Bianco disse...

Poema lindo com palavras tão simples. É um dom seu.

Beijos distantes...

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ah, adorei teu mar aberto, ele começa onde acaba meu céuAberto. Por isso estou sempre pertinho, no bolso da minha fada.

Sil.. disse...

Passei pra deixar um abraçãooooooooooo, nessa amiga que me é tão querida!!!!!!

Renata de Aragão Lopes disse...

Sonhos e crises
no mesmo bolso?

Soluções à vista! : )

Beijo,
doce de lira

Carol Morais disse...

Lara,
Os poetas tem bolsos tão fundos e tão fundos...há uma porção de coisas dentro deles. Há uma porção imensa de vida ao redor dos poetas.

Carol Morais disse...

Sil,
você que é querida! Dona das aspas que eu fico copiando na minha alma!
Um beijão

Carol Morais disse...

Maurizio,
pois volte sempre. Você é super bem-vindo! =)

Carol Morais disse...

Ivan,
eu também adoro esses sininhos! rsrs. Eu via nos outros blogs e me apaixonei. rsrs

Carol Morais disse...

Patrícia,
se o poeta não tivesse crises existenciais ele não poderia questionar a vida ou a falta dela.
Um super beijo, minha flor.

Carol Morais disse...

Martini,
Presente divino é receber visitas como a sua aqui no meu espaço! Volte sempre!
Beijo

Carol Morais disse...

Wal, é porque tudo é uma eterna sintonia. Tudo. Eu seria menos sem você, acredite.
Um beijo

Carol Morais disse...

Renata,
fui lá no teu cantinho. Que graça, que doce! =)
No nosso bolso cabe tudo, cabe o mundo que a gente inventa!

Um beijo

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

beijim.... minha mais comigo mesma