segunda-feira, 9 de julho de 2012

Pássaro Quintana

Pássaro e Onda (1958), de Ger Lataster
E se um passarinho esbarrar em tua casa ao longo do caminho
Abra as portas e janelas
E faça com ele um ninho

Carolina Morais

7 comentários:

Maria Gabriela disse...

Abri a janela, e passarinho nunca mais se foi...

Arnoldo Pimentel disse...

Lindo seu poema, parabéns.

disse...

Como pode palavras serem tao emocionantes?
Essas são....
Ahhh... esses pássaros...

Beijoss

Vinicius.C disse...

Olá Carol!

Passando para matar um pouquinho a min ha saudade!

Beijo enorme!

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa dar com seu blog.
Deixo a minha benção e a paz de Jesus.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

deu uma saudade docê...... continua passarinha, formada, sarou dedinho, usa sapatilha....colou grau e tudo!!!!!! Parabéns minha querida!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Vem.... teu ninho ninguém toma dentro de mim!