sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Cotidiano

Um dia a moça acordou cansada
A noite fora longa. O moço, sem nome, sem identidade. Os dois ali na cama.
E o vento que soprava lento parou. E o tempo que corria andou.
E o dia morreu. E o amanhã surgiu mais uma vez para a moça cansada.

Carolina Morais

4 comentários:

Pérola disse...

Me inspirou um certa rotina,a cara de minha condição em algumas ocasiões.
Beijos minha flor.

.:. Cep próprio .:. disse...

Selo pra tu no blog! :)

♪ Sil disse...

E as manhãs sempre surgem.
Graças a Deus.
Mesmo que sejam as mesmas, mas estão ali...um convite para se viver mais um dia.

Amooooooooooooooooooooooo você!

Lara Amaral disse...

Muito bom, linda! Texto leve sobre algo árduo.

Beijo.