terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Sobre a superficialidade humana

Fiz um intercâmbio. Passei 6 meses na "terra do tio Sam". Foi incrível. Conheci 5 estados, provei muitas bebidas diferentes, provei muita comida diferente (lá não tem apenas fast-food não, ein! rs), Conheci novos ares, fiz muitos amigos...

Regressei à minha terra: ao Ceará, no Brasil. Estava com saudades da minha família, do meu namorado e dos meus amigos mais queridos. Estava com saudades da comidinha daqui, e, até do "ar quente" senti saudades.

Quando voltei, foi muito bom rever a família e os amigos. Sentir o calor dos braços dos meus pais, a amizade incondicional da minha irmã, o beijo apaixonado do meu namorado e os ombros de meus sempre amigos.

Durante toda a minha vida eu enfrentei problemas com a balança. E sempre foi muito sério. Apesar de nunca ter sido "gorda", sempre muito cheinha. E demorava muito para me aceitar. Foi então que encabecei uma reeducação alimentar fabulosa, deixei de me preocupar tanto com a balança e, com 1,60 de altura e metabolismo lento, cheguei aos 53kgs. Sim, fiquei bem magra. Até demais. Acredito que isso tenha sido muito válido para o Ballet, que faço há 4 anos.

Bom, nos três/quatro primeiros meses que passei em terras norte-americanas, fiz ballet e academia. Academia todos os dias e ballet uma vez por semana. Foi tão divertido. Após algum tempo, o outono chegou, as folhas começaram a mudar de cor, eu e minha sempre amiga Camila começamos a viajar EUA afora...Bem...relaxei. Deixei de me preocupar tanto com a alimentação e com os exercícios. Se bem que a minha alimentação nunca chegaria aos pés da minha alimentação aqui no meu país: não comia fast food por lá(sim!-não gosto de hambúrguer, não tomo refrigerante e sou alérgica a maionese), mas as comidas todas possuem muitos conservantes, enfim...frutas frescas e tapioca, só aqui no nordeste, meu bem!

O esperado aconteceu. Engordei. E ganhei mais de 9kgs! Se eu era bochechudinha, imagine agora! rsrs Um ponto positivo disso é que não atingi sobrepeso e os quilinhos foram bem distribuídos pelo corpo todo (acho que as bochechinhas foram campeãs, rs).

Todos que me conhecem já sabiam da Carol gordinha. Fato. Eu até ensaiei ficar mal por conta do peso. Não consegui. O que vi e vivi por seis meses valiam até 10kg a mais na minha balança.

Hoje, algo me fez refletir muito sobre a superficialidade humana. Algo me fez refletir sobre um padrão inventado pela sociedade que, até eu mesma continuo seguindo. Um padrão que me faz dizer que estou gorda agora. Um padrão que diz que foi errado eu estar hoje com 10kgs a mais.

Chegando ao local onde trabalho, na Universidade onde estudo, fui muito bem recebida por todos os meus colegas. Principalmente meus colegas com quem trabalho há mais de 2 anos. É muito bom ser recebida de braços abertos e ver que há pessoas que torcem pelo seu sucesso. Hoje, bem hoje mesmo, fui a outro laboratório onde também trabalho e desenvolvo projetos. Encontrei uma das coordenadoras pelo corredor e recebi um abraço mais que caloroso. Recebi boas-vindas de outra colega e de um colega também.

A minha surpresa veio ao entrar na sala do projeto. Revi pessoas. Uma dessas pessoas, imediatamente olhou para mim, riu e falou, educadamente : "Posso falar algo, você não me leva a mal?" E eu, já sabendo do que se tratava ao ver a admiração desta colega, respondi: "Claro, diga." Esta colega então falou: "Tu tava amarrada lá? " Sim, no começo demorei um pouco para entender. Nunca utilizei esta expressão, mas, do jeito que a mesma me sondou "dos pés à cabeça", soube logo que se tratava da minha "engordadela". No ato já disse: "Ah, você quer dizer que eu engordei? Bom, se for isso, sim! E foram mais de 8kgs, acredita?". Minha colega aparentou um certo constrangimento. E eu sorri de orelha a orelha.

Sim, eu entendo perfeitamente o comentário dela. Não me incomodo. Porém, confesso que esperava um abraço, um caloroso "seja bem-vinda de volta", "como foi a experiência?", "o que você aprendeu por lá?". Mas, infelizmente não foi isso que escutei. Dela apenas.

Esse pequeno acontecimento reflete muito a superficialidade humana. Não que esta minha colega seja superficial. Muito pelo contrário, essa minha colega é competente e muito simpática. O que ocorre é que a sociedade incute dentro de nós um padrão que não existe. O excesso de peso ou a falta dele podem indicar um problema sério. Quando o assunto é saúde a coisa muda de figura. Para mim, a beleza sempre virá da alma da pessoa e da personalidade que ela desenha ao redor do mundo.

Tive de viver fora por seis meses para aprender isso. E hoje vejo o mundo com outros olhos: com os olhos da alma. Isso também não significa que eu me descuide de tudo. Já voltei a fazer academia, pois cuido da minha saúde e voltei a comer o que comia usualmente, antes de viajar. (E, acreditem, um quilo já se foi...deve ter sido o calor de Fortaleza! rs)

É, meus queridos leitores. Uma visão de mundo diferente não se compra. Adquire-se quando nós resolvemos olhar o mundo e as pessoas com outros olhos. Com olhos amadurecidos e embebidos...em personalidade própria.
Eu e meus "quilinhos a mais",
em Lake Tahoe-Nevada,EUA.

Carolina Morais

16 comentários:

Michele P. disse...

Carol, de qualquer maneira você continua linda, por dentro e por fora. :-)

Um abraço

Pérola disse...

Tu tá linda minha flor.
Hei,eu já pesei 80 kilos mas posso ser sincera? Eu ñ me incomodava ñ,quanto a isso eu sou mais tranquila. Emagreci lentamente.
Sua amiga foi indelicada.
Nossa menina vc fez uma turnê fachion que barbaro rs.
Bom te-la de volta ao Brasil, eu me lembro muito bem quando tu foi.
Amada,eu ñ amadurei tanto assim,só estou tentando, ainda arrisco algumas infantilidades por aí apesar da idade rs.
Vc tá linda,seu rosto esta super delicado e eu estou falando sério viu!!!
Namore muito e ame na mesma proporção,a vida passa tão rápido.
Beijo grande.
Saudadona de vc amada.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ah, se toda bochechuda fosse metade do que vc é..... o mundo seria uma maravilha de viver, comer, amar....

.:. Cep próprio .:. disse...

Sou suspeita pra falar, porque te acho linda de todo jeito. E sobre a superficialidade humana... O mundo está cheio... Só quem vive pela metade se ocupa com mesquinharias... Não à toa a maneira de se perceber e de perceber os outros e o mundo também se torna ínfima para os pobres de espírito.

SEJA BEM VINDA CAROLZ!!!!

:)))))))))))))))))))))))

Lara Amaral disse...

Carol, eu posso dizer que entendo perfeitamente o que vc passou. No final da minha infância eu engordei e, desde lá, luto contra a balança. Consegui emagrecer e mantenho o peso há pouco mais de um ano, mas antes disso, foram muitos efeitos sanfona, muito preconceito, muita brincadeirinha de mal-gosto dos coleguinhas na escola. Sofri à beça, e minha autoestima tem problemas com isso até hoje.
Quem já sofreu por causa de fatores estéticos ou étnicos sabe bem como é, e geralmente essas pessoas não fazem piadinhas ou comentários infames sobre a aparência alheia. Pelo menos, eu nunca tive coragem de fazer. É claro que a pessoa sabe que é branca, negra, amarela, gorda ou magra, não precisa que as outras pessoas falem, e ainda insinuando alguma coisa a mais. É triste quem não tem desconfiômetro.

Mas enfim, que bom que chegou, que está bem, mais amadurecida e feliz, e claro, levará essa experiência para a vida toda.

Beijo no seu coração, querida!

Machado de Carlos disse...

Que nada! Cinco quilinhos? Isso é pouco. Com o tempo as coisas mudam e você chegará à quantidade de quilogramas que você quer.
Com um amigo foi diferente. Esteve nos EUA, conheceu uma Canadense e está voltando para lá novamente. Este sim se amarrou por lá! (Risos!...).
Beijos!...

(Seja bem-Vinda ao Brasil e, não ao Brazil).

Raquel disse...

Oi Carol, adorei seu post. Mais importante do que as gramas (que vão embora rápido!) são os frutos e experiências que você viveu. E isso ninguém tira! Lindas fotos. Bom retorno. Bjs

Eduardo Porto disse...

Você sabe que você é linda pra quem importa. Eu te amo.

MOISÉS POETA disse...

Carol !

Voce não esta gordinha, voce esta é com excesso de formosura...

Esta linda !

Linda também é essa sua experiência De vida que teve la fora.
Isso ninguem vai tirar de voce .

Um beijo !

♪ Sil disse...

Carol, amada!

Isso é fisico minha flor, e estamos na época do cérebro, e isso vc tem de sobraaaaaaaaaaaaaaaa.
Cérebro, coração, alma linda.

Com 5 kilos a mais, a menos, você é lindaaaaaaaaaaaaaaaa dentro e fora, e eu te amo.
Muita gente te ama!
O resto? São detalhes de quem cultua corpos, e não almas!!

♪ Sil disse...

Carol, amada!

Isso é fisico minha flor, e estamos na época do cérebro, e isso vc tem de sobraaaaaaaaaaaaaaaa.
Cérebro, coração, alma linda.

Com 5 kilos a mais, a menos, você é lindaaaaaaaaaaaaaaaa dentro e fora, e eu te amo.
Muita gente te ama!
O resto? São detalhes de quem cultua corpos, e não almas!!

Anônimo disse...

amigaaaa!!! fui ler teu post agora!!
vc sabe q vc eh linda de todas as meniras... e olhe pare com essa neura viu! e olhe, quarta feira vou te raptar viu! bjossss
te amo amigaaaa
Bianca

Anônimo disse...

amigaaaa!!! fui ler teu post agora!!
vc sabe q vc eh linda de todas as meniras... e olhe pare com essa neura viu! e olhe, quarta feira vou te raptar viu! bjossss
te amo amigaaaa
Bianca

Anônimo disse...

Gordinha? Gordinha linda, charmosa, bochechuda, fofa, e que eu tô morrendo de saudade. Que bom que você já está de volta. Beijos e seja MUITO bem vinda. Luísa Menescal.

celio disse...

Carol, muito bom seu artigo. A reflexão sobre a superficialidade humana é uma necessidade. É difícil nos livrarmos dela, mas é ncessário sempre comentar. bjs

Vanessa B. disse...

Essa ideia de levar a vida feliz consigo mesma sem deixar de se cuidar é linda e me faz sentir confortável dentro do meu próprio corpo, tendo pequenas surpresas agradáveis, de eventualmente, ir numa balança e descobrir quilinhos a menos. Sem obrigação, culpa, sem amarras. Isso é lindo e inspirador.