sábado, 5 de fevereiro de 2011

Sobre o perdão efetivo

Perdoar e esquecer. Perdoar é relativamente fácil. Comparado ao ato heróico de abrir uma lata de leite condensado com os dentes, perdoar é uma tarefa fácil que não requer tanto de nós mesmos.
Mas, o que é perdoar? Será que perdoar é apenas organizar umas poucas palavras e pronunciá-las diante à pessoa que te magoou ferozmente? O que seria perdoar senão falar para o outro que está tudo bem?
Daniel F. Gerhartz. Forgiveness.
(A pintura retrata Maria Madalena aos pés de Jesus)
Perdoar, muitas vezes, parece um ato que favorece apenas o pecador. O mesmo tira uma bigorna enferrujada das costas ao saber que o outro, a quem fez mal, já não se importa mais com as mágoas e chateações. As palavras proferidas, pesadas e ofensivas. Tudo pode ser apagado por um " eu te perdôo" ?
Eu digo que não. Perdoar não é dizer que perdoa. Estar perdoado não significa escutar que está perdoado. Isso não faz com que sintamos menos culpa ou o que fizemos ou o que fizeram conosco tenha simplesmente evaporado nas linhas tortas do tempo.

Um sentimento ruim pode ficar dentro de nós por muito tempo. Sempre existirão pequenos cacos cortantes que surgirão em nosso coração, fazendo aquela ferida sangrar, e abrir. Então, o perdão é assim, um remédio. Temos que cuidar da ferida diariamente, lavá-la, passar o medicamento adequado e cuidar para que não a machuquemos novamente, no mesmo lugar.

Quando crianças caímos e machucamos o joelho. Praticamente todos nós já caímos . Quase todos nós já tivemos aquela ferida no joelho. Chato e fato. Toda vez que andamos, sentamos e nos mexemos lembramos da ferida. Ao sentir a ferida, lembramos da queda. Nos arrependemos. O perdão tem que agir em nossas feridas como um curativo para feridinhas no joelho. Saiba que você não irá esquecer do que aconteceu de uma hora para a outra. Saiba que você sempre vai sentir aquela ferida, que poderá machucá-la novamente e vai ficar pensando consigo mesmo " ah, se eu fosse um pouquinho mais cuidadoso, não teria caído e ferido meu joelho". Sim, pensar como seria não adianta. Já aconteceu. Enquanto você pensa em uma forma de ter desviado daquela pedra sem perder o controle da sua bicicleta, sua feridinha fica lá, desprovida de cuidados. Então, ao menos uma vez, sonhe menos e olhe para dentro do seu coração. Perdoe verdadeiramente.

E, não se iluda, muitas pessoas te perdoam e te perdoaram mesmo sem ter dito isso a você. O perdão está dentro do que chamamos coração e não de nossas mentes, muitas vezes infectas.
Perdoe, assim, serás perdoado. Mas, só perdoe se realmente quiser curar a tua ferida.

Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós. Colossenses 3.13

Carolina Morais

8 comentários:

.:. Cep próprio .:. disse...

MUITO BOA a crônica, Carolz! Gostei mesmo e pensei mt a respeito. O que mais tenho feito é ME perdoar pelas vezes que errei. Isso tem sido um exercício diário, contínuo e um processo libertador. Não que eu precise libertar quem me feriu ou a quem feri. Mas já houve vezes que com toda a boa vontade cheguei pra pessoa, pedi perdão e ela não aceitou. Aê, é como aquela história de Jesus chegar a uma casa e oferecer a paz e neguim recusar. Aê, meu amigo, cê bate a poeira dos pés e segue adiante. De certa forma, coloco em intenção de oração quem preciso perdoar ou quem gostaria de perdir perdão e não se deixa chegar perto. Escolha alheia. Algo fora do meu alcance. Mas se perdoar a mim depende de iniciativa própria... Tenho uma coleção de feridinhas pra curar e, sinceramente, estou disposta a conhecer cada uma pra saber lidar com elas.

Beijo, minha linda!
Saudade!
;****

P.s: ainda pretendo sair contigo pra tricotarmos! Depois me avisa dos teus horários?;)

.:. Cep próprio .:. disse...

MUITO BOA a crônica, Carolz! Gostei mesmo e pensei mt a respeito. O que mais tenho feito é ME perdoar pelas vezes que errei. Isso tem sido um exercício diário, contínuo e um processo libertador. Não que eu não precise libertar quem me feriu ou a quem feri. Mas já houve vezes que com toda a boa vontade cheguei pra pessoa, pedi perdão e ela não aceitou. Aê, é como aquela história de Jesus chegar a uma casa e oferecer a paz e neguim recusar. Aê, meu amigo, cê bate a poeira dos pés e segue adiante. De certa forma, coloco em intenção de oração quem preciso perdoar ou quem gostaria de perdir perdão e não se deixa chegar perto. Escolha alheia. Algo fora do meu alcance. Mas se perdoar a mim depende de iniciativa própria... Tenho uma coleção de feridinhas pra curar e, sinceramente, estou disposta a conhecer cada uma pra saber lidar com elas.

Beijo, minha linda!
Saudade!
;****

P.s: ainda pretendo sair contigo pra tricotarmos! Depois me avisa dos teus horários?;)

Pérola disse...

Eu ñ sei se teria a mesma habilidade de perdoar segundo o texto mas...tento compreender e embora nem sempre consigo, faço por mim a gentileza de ser humana e busco tempo para aprender.
Beijos minha flor.

Tiago disse...

Eu nos últimos tempos venho pedindo perdão por tanto perdão pedido.

T.

Vinicius.C disse...

Perdoar, será que é mesmo tão fácil?

Será que algumas feridas saram, será que o perdao faz de verdade cicatrizar?

Com tanta falta, tanto medo de tentar, talves eu perdoe sem sentir, sem notar.

Nobre!... E eu aqui sentanto pobre plebeu, jogado a própria sorte, entendo melhor o que é, setr eu!

Eu adorei seu texto!

Perdoa minha divagação!

Espero que possa vir a conhecer o "Alma do Poeta", meu blog

Uma ótima Quarta F!

♪ Sil disse...

Amada,

Perdoar, é tão nobre, mas uma tarefa tão dificil..
Acho que tem coisas que são dificeis de se perdoar.
E coisas fáceis.
Eu perdôo no meu limite, Carol.
Já perdoei pessoas do fundo do coração, mas sem quer tê-las mais perto atravancando meu caminho.
Porque tem coisas que as pessoas nos fazem, que dói.
De certa forma, a gente sabe perdoar, mas seguindo o caminho da gente, e a pessoa perdoada, o caminho dela.
Acho que o tempo ainda é o melhor remédio para perdoar coisas graves.
E tudo se ajeita.
Jesus disse perdoar setenta vezes sete...mas como somos falhos..
Mas a gente chega lá.

Saudadeeeeeeeeeeeeee!

Amo tanto você Carol!

Um beijoooo!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ah Carolina..... realmente é muito difícil perdoar. E é no coração mesmo que isso acontece.

Eu, muitas vezes perdoei, mas na primeira oportunidade, lá estava eu de novo, relembrabdo o acontecido e me afastando das pessoas.

Sabe carol, tem esse lance tbm, da gente perdoar, e depois, lá vem o neguinho de novo, e de novo e de novo.

Carol, tem hora que quero desistir deessa missão de ser uma pessoa....rsrsrs

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

nos suportar es o problema