sexta-feira, 4 de março de 2011

Inocência

Bob Dornber,Sleeping Child.
Painting - Oil On Canvas
A menina adormeceu nos braços do tempo. O vento levou um sonho embora. A brisa vinda do oceano, prontamente trouxe outro sonho dourado. A chuva fina molhou as pálpebras rosadas daquele retrato de inocência.
A vida coloriu seus pensamentos de algodão e a infância se tranformou em um eterno cirandar.

Carolina Morais

11 comentários:

Machado de Carlos disse...

Belíssimo conto! Também adoro ler você! Uma alegria constante.

Tenho saudades dos tempos pueris, mas o tempo levou tudo como se fora um vento. Mas a vida é assim mesmo; temos que aproveitá-la como se estivéssemos em uma ciranda. Uma ciranda que nos ensina, sempre.

Receba um grande abraço!
Beijos!...

Geraldo de Barros disse...

cores leves que ajudam os olhos e os sonhos a dançarem

beijo,

G.

Marcelo Mayer disse...

em off rss
claro que pode usar a imagem! mas com os devidos créditos

bjs!

Suzana Martins disse...

vida colorida em sonhos e telas....

Belas palavras!

Beijos

Ju Fuzetto disse...

Deixa colorir baby. Arco-íris nas mãos. Delicadeza no peito.

Beijos

Vinicius.C disse...

Olá Carol!!


Euja estavasentindo sua falta menina!!

Essa menina que adormece nos braços do tempo. Que esquece e perde-se em sonhos que sejam dourados- azuis ou prateadosmas que sejam seus!

Um beijo e some mais nao!!

Nos encontramos no Alma.

Vinicius.

★★ GIZA ★★ disse...

oi.
passando para avisar que meu blog death angel vai ser excluido. me segue no meu outro blog, o amor imortal.assim poderemos manter o contato.
beijos

♪ Sil disse...

Carol, minha linda!!

Ahhh, tanta saudade do meu tempo de infância, essa inocência que realmente o vento, o tempo leva..
Faz parte né? Mas as vezes eu tbm digo aquela frase maravilhosaaa que diz: Me cura de ser grande!
Minha linda, ando na correria de sempre, mas graças a Deus tá tudo bem por aqui.
Eu até gosto dessa falta de tempo, porque me ocupa o cérebro, a alma, o coração, me ocupa todos os espaços.
Sinto saudade de ti sempreeeee, eu sempre digo que esse meu blog me trouxe pessoas tão raras na vida.
Você eu já disse: É filha, é irmã, é amiga, é uma metade adorada de mim.
Quero ver sempre você com esse sorrisão lindo ai.
É essa Carol que eu aprendi a amar tanto.
Aquela que não é :Nem aqui, nem acolá.É caju, é cajá. É leite batido com sorvete, é noite de lua cheia, assim,bem cheia. E é de vida e é de sorrisos que é feita.

Amo você!

MAILSON FURTADO disse...

Como é bom sentir a inocência...

Convido vc a conhecer meu espaço
http://mailsonfurtado.com

Edi Reis disse...

que sutil!
A imagem ilustrou bem!

http://feedbackpositivoagora.blogspot.com

Beatriz Amorim disse...

Que lindo!
Adorei seu blog, flor! :D
Seguindo...
beijinhos