quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Partida

Quase não dormi de ontem para hoje. Muitas coisas para arrumar. Fazer, desfazer e refazer as malas é tarefa difícil. A ansiedade tomava conta de mim, como toma agora, nesse momento.
Estou partindo...estou deixando Athens,GA. Morei aqui por 5 meses...ora parece que foram 5 anos, ora parecem que foram 5 dias. A impressão maior é que cheguei ontem. E parece que foi ontem mesmo que estávamos entrando no nosso apartamento no The Reserve at Athens, vazio, sem nada. Apenas os móveis.
Eu demorei para ter esse lugar como "lar". Eu me senti uma hóspede. Eu me sentia visita dentro da própria casa em que pagava o aluguel, contas de energia, água, cabo.
Eu não me sentia em casa. Aos poucos, um ambiente familiar se formava ali para mim. Desde o princípio eu tive uma família formada por uma só pessoa, Camila. E, aos poucos a família foi crescendo e fiz muitos amigos por lá. Eu senti medo, eu me senti sozinha. Eu senti tudo isso e muita alegria. O meu primeiro pensamento ao sair do aeroporto foi "eu consegui". E, sonhar vale a pena. Parafraseando JJ, "os nossos sonhos são feitos de coisas reais". O meu desejo era real, e o meu sonho alimentou meu desejo.
Ontem, ao arrumar minhas malas e ver o quarto quase vazio, tal qual como cheguei me fez chorar. "Esse meu sonho está acabando", pensei eu. E chorei. Derramei lágrimas verdadeiras. Senti uma angústia tão grande. Foi a primeira vez que eu fiz morada fora de casa. Foi a primeira vez de muitas coisas que fiz em minha vida. Foi um grito de liberdade, ou melhor, de responsabilidade. Foi a experiência mais significativa que tive até agora.
Não foi uma viagem qualquer. Nao foi uma viagem. Foi uma experiência de vida. Eu vou sentir saudade de cada segundo vivido aqui. Ao “esvaziar”o quarto, Camila entrou nele e disse com uma voz triste: “nossa, tá fazendo eco”. A saudade ecoa também dentro de mim e sinto que estou deixando uma parte de mim nessa cidade. Eu vou passar mais um mês no país, mas vamos apenas passear. Estamos de férias. Eu sentirei saudade da casa que chamei de home.
Por algum tempo eu esqueci um pouco da minha vida em Fortaleza. Por um momento eu estive tão imersa em toda a minha experiência em Athens, que eu esqueci da minha vida em Fortaleza. Por um momento eu esqueci de Fortaleza, e parecia que eu morava aqui por toda a minha vida.
Das tristezas que tive aqui, apenas a saudade da minha família e dos amigos. Esses sim cortaram o meu coração. Principalmente da família, que sempre está com a gente. Eu percebi isso depois que saí de casa. O suporte que a família te dá não precisa ser através de palavras ou gestos. O “estar” é o mais importante de tudo.
Durante esse tempo eu cresci. Eu cresci e amadureci. Sou a mesma menina, com os mesmos sonhos, a diferença é que eles estão maiores e meus voos também estão mais altos. Eu mudei. Eu paguei contas, eu trabalhei para que eu conseguisse pagar as contas. Eu fiz feira, eu cozinhei...Eu cuidei de mim mesma, sozinha. Eu aprendi a ser mais flexível, eu aprendi a não julgar. Eu fiz amizades verdadeiras, eu aproveitei tudo que eu poderia ter aproveitado. Eu curti, eu chorei, eu sorri. Eu aprendi, eu estudei. Eu descobri um universo novo e isso eu vou levar para mim pelo resto dos meus dias.
Eu aprendi que as coisas não são para sempre. E essa é talvez a pior parte. Eu aprendi que a vida é feita de escolhas, e que você é a única pessoa quem poderá fazê-las. Eu descobri também que se algo não der certo, a gente sempre tem um outro caminho. E que a felicidade sempre acena para a gente, e que a gente é que tem o poder de correr atrás dela.
          Eu aprendi que o amor dos teus pais é a coisa mais forte que você pode sentir. E que eles são as pessoas que mais te amam no mundo. Eu percebi que o amor da sua irmã é mais que amor, mas é cumplicidade também. Senti falta de ter minha irmã pelo menos no quarto ao lado, por perto.
          Eu aprendi que você faz amigos. Muitos. E que você não precisa esperar nada em troca. Eles te amam e te fortalecem sempre.
          Ao olhar para trás, eu vejo que eu continuo olhando para frente. E, hoje, eu vi o que era sentir saudades de verdade. Eu estou deixando meu lar, e vi que a saudade maior está lá nas minhas raízes, com minha família. Eu sinto saudade do que eu chamo de “lar”desde que eu nasci.
          A vida é feita de escolhas, e nossas escolhas movem a gente para a direção que a gente deseja seguir. Hoje eu chorei, dizendo para mim mesma que “o sonho que eu vivi aqui acabou”. Sim, acabou...de começar.

Carolina Morais

6 comentários:

Mai disse...

Oi, Carol,

É verdade que as coisas não são para sempre, mas você concluiu muito bem: "o sonho acabou de começar".

É isto.
um abraço amigo

★★ GIZA ★★ disse...

olà
fiz um blog novo e adoraria a sua presença por là
me siga por favor
www.amorimortall.blogspot.com
obrigado
beijos

.:. Cep próprio .:. disse...

Não perco de ler nada aqui, embora nem sempre comente (mal costume que preciso urgentemente perder e perderei).

Esse seu texto foi muito significativo pra mim. Acho que por todos os motivos que, você já sabe, tenho passado ultimamente.

Eu me arrepiei quando li o final e senti muito de perto o que você escreveu. Penso que o momento que vivo agora, mais que nunca, é fase decisiva na minha vida e quero dizer que você tem me ajudado, mesmo estando aí, de muitas maneiras, acredite.

Nunca pensei que um trabalho de Lit. Portuguesa IV, em dezembro de 2008, iria render tanto. Render, no "mínimo", uma amizade que vem se prolongando com o passar do tempo e se fortalecendo, mesmo na distância, mesmo diante das provações pelas quais passamos.

Te amo, Carol.
Agradeço muito à Deus por nossas vidas e amizade.

letícia l. disse...

"O sonho acabou.. de começar."

Lindo, lindo, lindo.!

Michele P. disse...

Carol

Ao "ler-te", senti-me na sua pele. Teus sentimentos, medos e angústias são tão reais e tão parecidos com os meus, que senti-me realizada pelo simples fato de comungar com o teu texto, com o teu coração.
Uma estrela a mais para vc.


Abraço

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Minha fada
"Ao olhar para trás, eu vejo que eu continuo olhando para frente."

essa é uma das frases mais loucas e vibrantes que li em toda a minha vida.
Isso que te liga às pessoas, isso que encanta tanto em vc. Nem te conheço, mas te vejo sempre indo, com o rosto pra frente, invadindo espaços, sorrindo, chorando, na chuva ou no sol...mas firme, firme.

Gostei demais dessa sua despedida. Vc fez de um momento que poderia ter sido "qualquer coisa", um momento de reflexão, de desapego, e de agradecimento a tudo.

Sim Carol..... vc sabe o que é o amor, sabe conquistá-lo e sabe dá-lo, sem nada pedir em troca.
Eu amo vc.