sexta-feira, 29 de abril de 2011

Poema de Varal

Pablo Picasso. The Writer,by Zhuagyizuan' studio
Por muito tempo desejei eu
fazer um poema de corda de varal
Para estender as palavras ao vento
e para que elas secassem embaixo do sol do meu quintal.

Mas minhas palavras não podem ser lavadas
Não secam facilmente e nunca estão dependuradas.
Minhas palavras são, assim, solteiras, independentes
ganham vida por muitos outros dentes
Ganham tino cada vez que lidas pelos olhos curiosos de poetas
(contentes)

Um dia quis fazer um poema de varal
Mas eu não tinha mais corda
Eu não tinha mais rima...

Nada me amarrava
e nada segurava as palavras que fervilhavam
sozinhas  e doidas em minha vida.
Vagavam nos olhos da escritora cega.


Minhas palavras têm asas.
Minhas asas são textos complexos.
Sou poesia lavada dentro da miséria humana
Cheirando ao sal do sol
Embebida em amor e vinho.

Carolina Morais

6 comentários:

Beatriz Amorim disse...

Adorei, Carol!
O jogo de palavras, o ritmo, as comparações!

Muito bom, parabéns!

beijos e um ótimo fim de semana!

Suzana Martins disse...

Carol, que lindo!!!!!!
Nossa, que maravilhoso!!
Estou encantada com as suas palavras que voam livremente dentro de mim!!

Lindo demais...

Beijos querida

Michele P. disse...

Ai, que lindo!

Uma vez escrevi:

"Às vezes tiro as palavras para lavar e secar ao sol para que percam o aspecto de usadas e mofadas"

Adorei a sua descrição poética! Texto colorido, sonoro, visual!

Lindão.

Um abraço Carol

A Viajante disse...

Nossa muito bacana, poema de varal, adorei a criatividade e o jogo das palavras, de como elas dançam e encaixam nas rimas, perfeito!! Tão cheio de nuances e de bom gosto, uma simplicidade que ofusca o tédio!!

Muito legal, adorei!!

beijos e bom fim de semana!

♪ Sil disse...

Carol, que coisa lindaaaaaaaaaa esse poema de varal!
Nem tem muito o que dizer, porque calou fundo demais na sua amiga aqui.
Ô minha linda, quantas palavras bonitas saem do seu coração!
Tanta lindeza, cor, luz!
Fico ensandecidaaaa quando demoro a passar aqui e beber cada palavra sua.
Ahhh amada, a vida aqui tá corrida, um amontoado de coisas acontecendo, mas vamos levando.
Me manda seu email que te conto tudinhoooo!

Saudade sempreeeeeeeeee de ti!

Amoooooooooo você!

Liberdade. disse...

Olá Carol!

...lindo,intrigante,perfeito!
gostei muito do seu blog,não sei se já falei isso,mais não custa repetir!
um abração!