domingo, 23 de maio de 2010

Todos são franceses

Quero mais
Mais do que podes dar
Vou arrancar-lhe as vísceras
E te guardar na minha caixinha de perfumes
Todos são franceses
Como todos os outros
As tuas vísceras também
Que agora já não mais cheiram bem
Velharias
Ode aos pequenos
Que desgraça!
Esqueci de tudo novamente


Carolina Morais

5 comentários:

Lara Amaral disse...

Hum, ninguém queria mexer em nossos guardados, principalmente nos pequenos frascos. ;)

Gostei da intensidade!

Beijo!

Patrícia Gonçalves disse...

Carol,

Vim retribuir o carinho e o beijinho, o seu comentário o blog comeu, ele anda meio arisco comendo comentários alheios.

Roubo-lhe o que me negas e de tudo sobram os odores, pobre dos amores, como você mesma disse "ode aos pequenos, que desgraça!"

Gostei muito de seus versos!

beijão

Márcio Vandré disse...

Eu prefiro deixar as glórias conseguidas e bem guardadas.
Espero e luto para outras virem.
Espero e luto por um coração.
Um beijo!

Carol Morais disse...

[com sem acentos]

Lara: Que bom que vc gostou. Para falar a verdade, eu nao gosto muito desse poema, nem dos dois ultimos que postei, mas posto mesmo assim. rsrs Obrigada! Vindo de vc eh mto importante! beijos

Patricia: Eu adoro teu blog! Estou viciada nos teus poemas. Poste mais e mais e mais!

Marcio: lindo. Vc eh lindo, tua escrita tb! Vc nao se cansa de me deixar vermelha, ein?Beijocas

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Bonequina....se a gente não esquecer, não consegue viver!

PV:bonec
Trad: carol

salvei pra vc vr