terça-feira, 6 de abril de 2010

Heroi dos Helenos

Já havia postado esse poema ano passado aqui no Desmondier. Mas reli e me deu vontade de postá-lo novamente. Aqui está:

Herói dos Helenos

[imagem do google]
Carolina Morais

Estrelas de vento
Eis-me aqui
Herói do Helenos
Peito aberto
à espera da espada
de prata de outrem

Trago comigo o orgulho
o sentido sublime
A vida que se vai
esvai-se com o tempo

Finco pé na beira do abismo
E sinto o vento na pele descoberta
o que sobra da armadura de ferrugem
é o vento que dá vida à minha estrela
solitária no céu açucarado

Lembro-me do que não vivi
A saudade carcome os últimos momentos comigo mesmo
A lágrima de sal
desce e arde e escorre
levemente
pelas rugas das maçãs
do rosto meu
que aos poucos formam atrito
com meu passado
Eu?
-Já não mais sou completo!

Estrelas de vento
Eis-me aqui
Herói dos Helenos
Fecho-me sozinho, dentro de quartos-de-pedra

Sufocado sinto-me hoje
Combustão de sentimentos
Guardados por recursos finitos
engavetados no sol de meio-dia

Sou eterno
Ontem
Estou guardado no vão de estrelas
de brisa
de mar
de maresia nebulosa
de ar impuro

Traga-me à cena da vida
Mostre-me o eterno
o vão deste abismo que hoje abriga
o ser selvagem
A saudade denuncia o pesar de minha fraqueza

Ponto fraco é coração
bate sem forças, sem esperanças
Não vê futuro no breu do meu abismo colorido
coloridinho
pelo poeta de armadura

Vejo hoje apenas o brilho discreto
que emana de minhas estrelas de vento
Estive aqui
Esqueça
Devaneios de um herói
Herói dos Helenos.

7 comentários:

Lara Amaral disse...

Carol, uma poema lindíssimo, me tocou muito.

Beijo, menina.

Eduardo Porto disse...

Minha heroína. Lindo poema.
Beijos, te amo.

transfusões .:. disse...

Te amo,Carol!Você mora no meu coração e é preciosa demais pra mim. Quanto ao livro, o primeiro deles, espero que não demore muito pra sair não.E quando sair, um será seu com dedicatória e foto,porque te quero bem demais. É bom te receber por aqui.É ótimo te ter na minha vida:)

transfusões .:. disse...

Quanto ao poema acima... diria que fiquei helênica depois que o li.=)

Márcio Vandré disse...

Como guerreiro da vida, ergo a espada e clamo aos deuses gregos que atentem para a beleza de sua poesia. É o cotidiano de muitos.
Um beijo!

Nathan Matos disse...

"Já não sou mais completo
Sou eterno
Herói dos Helenos..."

Muito bom

Carol Morais disse...

Lara: Fico feliz que te tenha te tocado. Um grande beijo minha flor!

Eduardo: Obrigada, anjo. Que bom que gostou.

Nanda: Você é que é precisamente preciosa para mim! Que ótimo te ter em minha vida, que ótimo poder fazer parte da sua, e te ler!

Márcio: Meu guerreiro, clame mesmo! Avisem-nos de que há mais poetas como tu, que escrevem com a alma enquanto o coração descansa. Um beijo!

Nathan: Brigada =)